ENTREVISTAS

O Comendador da AABB

Embora não tenha feito parte do grupo de 19 funcionários do Banco do Brasil que compareceu à assembleia de fundação da AABB, em 15 de junho de 1953, o ex-presidente Modesto da Silveira Filho é uma espécie de comendador do Clube. Seu amor pela AABB e sua participação nas atividades sociais e esportivas legitimariam esse título, se ele existisse. Mas se na teoria o nobre título ainda não foi criado, na prática, ele é exercido com desenvoltura por um dos mais apaixonados abebeanos de toda a história.

Exemplos de dedicação e comprometimento não faltam. De presidente a peladeiro, de diretor a jogador de dominó, de frequentador assíduo da Sede Balneária de Canasvieiras a atleta da AABB na JECA, ele resume facilmente essa íntima relação com o Clube. “Eu sempre vivi dentro da AABB. É como se fosse a minha casa”, explica. 

Sua relação com a AABB, de fato, é longa. A trajetória no Banco do Brasil começou em 1962, quando foi aprovado em concurso público e iniciou suas atividades profissionais em Chapecó. Lá ficou durante quatro anos, tempo suficiente para participar ativamente da fundação da AABB Chapecó e ainda exercer a presidência. “Participei até da compra do terreno da antiga sede e aí acabei aceitando o convite para ser presidente”. 

Os quatro anos em Chapecó foram intensos. Mesmo ocupado com as atividades profissionais no Banco do Brasil e com a presidência da AABB, ele encontrava tempo para voltar a Florianópolis. Em uma dessas visitas, consolidou o amor com a esposa, casando-se em 1964 com Avanir Martins da Silveira, carinhosamente chamada de “Tia Vanica”. Dois anos depois, em 1966, já estava de volta à cidade natal, de onde jamais sairia. “Sempre recebia convites para assumir a gerência do Banco em várias cidades, mas nunca mais saí daqui”. Uma das razões, talvez a mais forte, foi o fato de que em 1972, ele comprou a casa do ex-presidente da AABB, Edson da Costa Meira, localizada em Coqueiros, a pouco mais de 700 metros da Sede do Clube. “Aí mesmo que a gente não saía daqui”, garante. “Meus filhos eram pequenos e passavam boa parte do dia brincando aqui dentro”. 

Dos mais de 56 anos de casamento, vieram os quatro filhos do casal: Modesto da Silveira Neto (o Netinho), as gêmeas Fabiana e Fernanda, e o caçula Fábio. E do convívio diário com a AABB surgiram os convites para exercer a presidência, de 1973 a 1976, e outros diversos cargos na Diretoria Administrativa e nos Conselhos Fiscal e Deliberativo em várias gestões. “Vi a AABB crescer juntamente com meus filhos, pois passei mais da metade da minha vida aqui dentro”, emociona-se. 

Boa parte desses anos foi dedicada ao esporte. “O que eu mais gostava era jogar futebol”, revela. “Joguei durante muitos anos aqui na AABB, desde quando o campo era de areia de praia, em frente ao Castelinho”, relembra, acrescentando que depois foi feito o campo de areia, que ocupava o espaço onde hoje estão o campo de futebol, as quadras de tênis e as canchas de areia. “E eu também joguei no campo de grama natural, antes da grama sintética. Me aposentei jogando dominó e general”.

A paixão pelos esportes e pela AABB também o tornaram atleta assíduo das JECAs, onde costumava disputar diversas modalidades. Uma delas era o General. Reza a lenda que, em uma das edições no interior do Estado, após consumir certa quantidade de bebida alcoólica, o copo atirado sobre mesa do jogo não foi exatamente o que continha os dados... 

Em quase 60 anos de AABB, Tio Modesto mantém viva a relação de amor e dedicação ao Clube, uma inspiração aos novos dirigentes. Se hoje a presença já não é mais tão constante como em anos atrás, sua sabedoria é sempre solicitada para a tomada de decisões. “Mesmo afastado, nunca consegui deixar de ser sócio”, destaca. “Ver a AABB hoje é motivo de muito orgulho para mim”.

© 2016 por ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL. Desenvolvido por 

(48) 3028.9395